Avançar para o conteúdo principal

Um bolo para o dia da mãe

Numa destas manhãs de correria, acordei e tinha o frigorifico avariado... Se já estava atrasada, mais ainda fiquei! Para além da enorme preocupação com as coisas que estavam lá dentro a estragar-se o dia inteiro! Ainda deu tempo para passar algumas coisas que estavam na parte da arca para uma outra arca que tenho, mas ainda assim fiquei preocupadíssima sem saber quanto tempo ficaria sem frigorifico!

Telefonei aflitíssima para o senhor, que montou o ano passado a arca vertical, que me disse "menina hoje em dia no nosso país já ninguém tem nada em stock, vamos ver o que consigo fazer". E lá conseguiu fazer magia, porque no dia seguinte tinha um novíssimo a ser encastrado! Mas ainda assim não me escapei à graçola lá no trabalho: "Já viste a sorte que tiveste por não teres ido às compras no Pingo Doce? Se tivesses ido e aproveitado os 50% de desconto, estava agora tudo estragado!". Enfim... Felizmente lá chegou o frigorifico, a tempo de ser abastecido com as compras da semana, com um balanço, apesar de tudo, não muito negativo em termos de estragos...

Com a arca congeladora em sobrecarga, já que recebeu o conteúdo do que estava na outra avariada, mentalizei-me que tinha de arranjar, rapidamente, destino para as mais de 30 claras que lá andam perdidas... E lembrei-me de fazer um clássico americano - Angel Food Cake. Todos falam maravilhas, mas sempre tive algum respeito pela receita, já que envolve claras... Mas rendi-me à facilidade e à textura! É um bolo com um ADN perfeito de 'bolo para chá'. Um bolo quase isento de gordura! Um bolo perfeito para uma data especial... Por isso, resolvi engalaná-lo para festejar o Dia da Mãe, com uma cobertura doce, mas dispensável, já que é fantástico por si só.

Feliz dia das mães para quem o é ou tem a sorte de ainda a ter. As mães merecem tudo! Especialmente mimos destes...

__________________________________________________

Angel Food Cake com chocolate branco e avelãs




Ingredientes:

- 12 claras

- 300 gr de açúcar

- 200 gr de farinha fina (usei branca de neve)

- 1 colher e meia de chá de extracto de baunilha (usei em pó)

- 1 colher e meia de chá de cremor tártaro

- 1/2 colher de café de sal refinado

- 200 gr de chocolate branco

- uma mão cheia de avelãs




Preparação:

Coloque o açúcar no copo da Bimby seco e programe 45 segundos, velocidade 9. Reserve. Com o copo bem limpo e seco, coloque as claras no copo da Bimby e dê alguns golpes de turbo até desfazerem. Junte o sal refinado. Coloque a borboleta e programe 6 minutos, 37º, velocidade 3 1/2. Junte o cremor tártaro e programe mais 3 minutos, velocidade 3. Vá juntando pelo bocal da tampa metade do açúcar reservado. Programe mais 3 minutos, velocidade 3 e junte o restante açúcar misturado com a essência de baunilha pelo bocal da tampa, bem devagar. Retire para um recipiente largo e vá juntando a farinha peneirada. Faça movimentos, sem bater, de baixo para cima com uma espátula.

Pré-aqueça o forno a 170º. Coloque as avelãs no forno cerca de 10 minutos num recipiente.

Coloque o preparado de claras numa forma com buraco, de preferência de fundo amovível, sem barrar. Leve ao forno por 40 minutos.

Quando o tempo terminar, coloque o bolo voltado ao contrário assente em algo que suporte calor (eu utilizei um ramequim). Como a forma não foi barrada, o bolo não irá cair, mas este passo ajudará a ficar no ponto. Ficará nesta posição até arrefecer totalmente.

Entretanto coloque água a ferver num recipiente e coloque outro recipiente dentro deste com o chocolate branco. O objectivo é ir derretendo sem queimar. Depois de derretido junte-lhe as avelãs partidas grosseiramente (depois de saírem do forno, retira-se a pele e com as costas de uma colher, parta um pouco).

Retire o bolo da forma e coloque por cima o chocolate branco com avelãs (irá solidificar).


Alternativa de Preparação:

Coloque o açúcar num robot de cozinha e processe até ficar em pó (em alternativa, utilize açúcar em pó de compra). Reserve. Num recipiente bem limpo e seco, coloque as claras (ja descongeladas) e o sal refinado e bata até começar a ficar em castelo. Junte o cremor tártaro e bata mais um pouco (cerca de um minuto). Vá juntando o açúcar reservado misturado com a essência de baunilha, bem devagar, até formar piquinhos por cima. Junte a farinha peneirada. Faça movimentos, sem bater, de baixo para cima com uma espátula.

Pré-aqueça o forno a 170º. Coloque as avelãs no forno cerca de 10 minutos num recipiente.

Coloque o preparado de claras numa forma com buraco, de preferência de fundo amovível sem barrar. Leve ao forno por 40 minutos.

Quando o tempo terminar, coloque o bolo voltado ao contrário assente em algo que suporte calor (eu utilizei um ramequim). Como a forma não foi barrada, o bolo não irá cair, mas este passo ajudará a ficar no ponto. Ficará nesta posição até arrefecer totalmente.

Entretanto coloque água a ferver num recipiente e coloque outro recipiente dentro deste com o chocolate branco. O objectivo é ir derretendo sem queimar. Depois de derretido junte-lhe as avelãs partidas grosseiramente (depois de saírem do forno, retira-se a pele e com as costas de uma colher, parta um pouco).

Retire o bolo da forma e coloque por cima o chocolate branco com avelãs (irá solidificar).

Nota 1: as fatias deste bolo devem ser cortadas com uma faca de serrilha.

Nota 2: a cozinha não deve ter correntes de ar ou fazer-se demasiado barulho enquanto o bolo arrefece.

__________________________________________

 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Pão

Pão... Fazer pão sempre foi para mim uma arte, uma técnica basilar e por essa razão sempre gostei de fazer o meu próprio pão, de experimentar receitas novas, de usar ingredientes novos, novas combinações. Embora não seja nascido no Alentejo, a minha familia é toda alentejana, os sabores sempre foram alentejanos e é a gastronomia com que mais me identifico, de onde o pão é quase a sua base culinária. 
Termos aderido a um novo conceito de alimentação, onde o trigo não entra, fez-me repensar o pão. Apesar de não precisar de pão na minha dieta, somos bombardeados de todo o lado pelo pão... nas reportagens televisivas sobre a Páscoa, nos restaurantes, nas feiras, etc., por isso resolvi pegar nas farinhas aprovadas na alimentação paleo e fazer o meu próprio pão. 
Peguei nos vários conceitos que li sobre o pão, nas várias experiências falhadas nestes meses e produzi o meu Pão, sem glutén, sem trigo e saboroso... nham. Ficou um bocadinho achatado, mas acreditem que ótimo de sabor. 
E é com est…

Aguardentes & Licores

O ano passado lancei-me na 'arte' de fazer licores para oferecer nos cabazes de Natal. Comprei uma aguardente de boa qualidade e segui duas receitas publicadas na revista da Bimby "Momentos de Partilha". O resultado final foi muito apreciado pelos convivas a quem ofereci, já que por casa ninguém é apreciador de álcool, nem nas maçãs assadas (felizmente só se estraga uma casa) e por isso nem provamos o resultado final.Este ano tentei perceber um pouco mais sobre este universo das aguardentes (a base dos licores). Em jeito de 'Resumo' tenha em atenção o seguinte:O primeiro factor a ter em consideração, quando se faz um licor, tem a ver com o teor alcoólico da aguardente porque a quantidade de água e açúcar que se vai utilizar depende disso. Isto é, se tiver um teor de álcool de 40º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar cerca de 500 gr de açúcar e 650 ml de água. Se tiver um teor de álcool de 70º, para 1 litro de aguardente, deve-se utilizar a mesma prop…

Cheesecake aldrabado

Se o mote da nossa vida fosse sempre simplificar, tudo seria mais simples... E delicioso.
Num destes finais de dia fiz Granola. Estava a arrefecer em cima da banca quando começamos a jantar. O cheirinho aromático fez-me ter vontade de improvisar algo para a sobremesa. 
Demorou pouco mais de 30 segundos. Sabia o que tinha no frigorífico. Requeijão de cabra, doce de morango e framboesa... Claro que só podia sair um cheesecake aldrabado. Não tivesse logo eu pensado nele quando comprei o requeijão e as framboesas... Embora estivesse longe de imaginar que a falta de tempo me impossibilitasse de fazer a versão tradicional mas fizesse chegar até mim uma alternativa à altura. O risco é só mesmo ser demasiado rápido de fazer e bom demais. Tão bom que enquanto eu tirava fotos do meu, o marido já estava a comer a segunda taça! Brutal!





Cheesecake aldrabado
Ingredientes: - Granola a gosto (ESTA) - requeijão de cabra a gosto - doce de morango e framboesa a gosto (ESTE) - framboesas para decorar
Preparação: E…